Ametropias

Ametropias são os vícios de refração ou os diferentes “graus” do olho. Quando a pessoa é emétrope, ou seja, não tem grau, a imagem é formada no plano da retina. De forma simplificada, quando o foco da imagem está na frente ou atrás da retina, a pessoa apresenta miopia e hipermetropia, respectivamente. Nesses casos, a imagem formada na retina fica desfocada. As lentes corretivas deslocam o foco dessa imagem, para que ela seja projetada sobre a retina e a pessoa enxergue com nitidez.

 

Miopia

É a condição em que os olhos podem ver objetos que estão perto, mas não são capazes de enxergar claramente os objetos que estão longe. A miopia pode se desenvolver gradual ou rapidamente, e muitas vezes piora durante a infância e adolescência. Adultos geralmente permanecem míopes se eles têm esta condição desde criança. O surgimento de miopia em adultos que não apresentavam a patologia na infância pode estar associado a diabetes descompensada ou catarata.

 

A miopia tende a afetar membros da mesma família. Pelo menos 30% a 40% da população ocidental são afetados com miopia. A miopia pode ocorrer quando a córnea é curva demais ou, mais comumente, quando o olho é mais longo do que o normal. Em vez de estar focada justamente na retina, a luz é focalizada na sua frente, resultando em uma aparência borrada para objetos distantes.

 

O principal fator de risco para a miopia é a hereditariedade. Também acredita-se que o estresse visual excessivo e prolongado, decorrente de atividades que exigem um maior uso da visão para perto, está associado ao desenvolvimento e progressão da miopia. Ela pode ser corrigida com o uso de óculos, lentes de contato ou cirurgia.

 

Hipermetropia

A hipermetropia é um problema de refração comum, em que não há dificuldade em enxergar objetos de longe, mas quando você os aproxima, fica muito difícil focalizá-los.

 

Na tentativa de enxergar melhor, nossos olhos trabalham para a imagem ficar mais focada possível. Esse esforço é conhecido como acomodação. Durante a acomodação o cristalino modifica seu diâmetro antero-posterior, aumentando seu grau, na tentativa de focalizar melhor os objetos na retina e compensar a hipermetropia. Em pessoas jovens, com boa capacidade de acomodação e graus moderados de hipermetropia, o problema pode passar despercebido, porque a própria acomodação corrige o erro refracional.

 

No entanto, como com o passar da idade, essa capacidade de acomodação do cristalino vai se perdendo e, consequentemente, a hipermetropia se agrava. A hipermetropia pode ser corrigida com o uso de óculos, lentes de contato ou cirurgia.

 

Astigmatismo

É causado por diferentes curvaturas da córnea ou cristalino, formando a imagem em planos diferentes, não exatamente sobre a retina. O foco da imagem pode estar na frente ou atrás da retina, por isso o astigmatismo pode ocorrer em combinação com outros erros refrativos.

 

É irregular, podendo ser causada, por exemplo, por ceratocone, cicatrizes na córnea ou ectasias. O uso de óculos, lentes de contato ou cirurgia podem corrigir o astigmatismo. Cada caso deve abordado de forma individualizada.

 

Presbiopia

Conhecida como “vista cansada”, a presbiopia manifesta-se normalmente após os 40 anos, criando uma dificuldade para enxergar de perto. É causada pela diminuição da capacidade de acomodação do cristalino.

 

Desta forma, quando aproximamos um objetos dos olhos, a acomodação ocorre de forma involuntária, ou seja, o cristalino modifica seu diâmetro para que o foco da imagem permaneça na retina. Com a diminuição da capacidade de acomodação, o foco da imagem fica atrás da retina, a pessoa passa a ver a imagem desfocada e tem a tendência a afastar o objeto dos olhos, na tentativa de focalizar melhor.

 

A presbiopia pode ser corrigida por meio de óculos, lentes de contato e, em alguns casos, cirurgia refrativa.